JÚRI

JÚRI GUIÕES VI

FELIPE LACERDA

Felipe Lacerda é realizador, montador e consultor de guiões e montagem. Montou 60 longas-metragens de ficção; entre eles “Central do Brasil”, nomeado a dois Oscars, vencedor dos Ursos de Ouro e de Prata no Festival de Berlim, do BAFTA, dos Golden Globes e outros 33 prémios. É co-realizador de “Ônibus 174” , vencedor de 21 prémios internacionais, incluindo o Emmy. Montou cerca de  20 documentários de longa metragem selecionados para os festivais de Sundance, Tribeca, Rotterdam, entre outros. É roteirista de “Nelson Freire”, de João Moreira Salles, e “Garapa” de José Padilha, ambos nomeados a melhor longa de documentário em Tribeca. É mentor e consultor de guião e montagem para filmes em Portugal, Inglaterra, EUA, Brasil, Costa Rica, Japão, Espanha e Chile. É palestrante convidado e leciona masterclasses em instituições como as universidades de Princeton, Harvard, Columbia, Cambridge, Leeds, EICTV- Cuba e Tribeca Film Institute.

JULIA PRIOLLI

Julia Priolli é Gerente de Conteúdo Original da Disney / Buena Vista Production. Roteirista com especialização em Columbia e Stony Brook University, assina a supervisão de teledramaturgia das séries Impuros, Me chama de Bruna e 1 Contra Todos, indicada ao Emmy Internacional em 2018 e 2019. Como roteirista, trabalhou nas produtoras 02, Bossa Nova, Primo Filmes, Glaz, 44 Toons e escreveu roteiros das séries, Amigo de Aluguel, Monstrolândia e Bobolândia, Lili a Ex, Tempero Secreto e De Perto Ninguém é Normal. Consultora do Núcleo Criativo Inflamável, de Karim Ainouz. Em 2017 foi consultora do Núcleo Criativo da Singular Midia & Content. Foi coordenadora dos Laboratórios do Prodav 4, através da Klaxon Audiovisual, e consultora do Prémio Netlab de Roteiro, em 2018.  Jurada do prémio Prix Jeunesse Iberoamerica, Julia é professora de roteiro no Centro Cultural Barco, na Roteiraria e na FAAP.

LEO GARCIA

Leo Garcia é roteirista, produtor, sócio da Coelho Voador e diretor-geral do FRAPA, o maior Festival de Roteiro da América Latina. Mestre em Roteiro (UPSA – Salamanca, Espanha), escreveu as séries SAPORE D’ITALIA (RBSTV e Globo Internacional), BOCHEIROS (TVE e Prime Box Brazil), WERNER E OS MORTOS (Canal Brasil) e PARALELO 30 (Prime Box Brazil). Destaque para o curta de animação ED, selecionado para mais 100 festivais e com 27 prémios (entre ele o Grande Prémio Canal Brasil). Em 2014, Leo foi selecionado para o Berlinale Talents. Em 2018, lançou nos cinemas dois longas que escreveu e produziu: a ficção EM 97 ERA ASSIM e o documentário A VIDA EXTRA-ORDINÁRIA DE TARSO DE CASTRO, no qual também assina codireção. Leo também escreveu o roteiro do drama histórico LEGALIDADE, lançado no circuito comercial em 2019. É, ainda, o criador, produtor e showrunner da série A BÊNÇÃO, atualmente em finalização, com previsão de estreia para 2020 no Canal Brasil.

NUNO NOIVO

Natural de Lisboa, Nuno Noivo estudou realização na ETIC – Escola Técnica de Imagem e Comunicação e História e Estética da Cinematografia na Universidade de Valladolid. Em 2014 vence o Fantasporto com a curta-metragem Renaissance, protagonizada por Anabela Moreira, Cristóvão Campos e José Neves. Actores com que se volta a cruzar na série da RTP Os Filhos do Rock, de autoria de Pedro Varela. Em 2017 após 8 anos como produtor e realizador de publicidade e ficção na Stopline Films de Leonel Vieira, cria juntamente com Salomão Figueiredo, Pedro Ribeiro, Nuno Oliveira e Branko Neskov, a produtora Grumpy Panda. Produtora que conta já com uma longa-metragem e 4 curtas-metragens na sua filmografia e foi recentemente nomeada para Melhor Produtora de Publicidade nos Prémios Meios & Publicidade.

NUNO ROCHA

Nuno Rocha é realizador, argumentista e produtor de cinema.  Licenciou-se em 2007 pelo Instituto Politécnico do Porto no Curso de Tecnologia da Comunicação Audiovisual. Dois anos mais tarde, estudou realização na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. Autor de várias curtas-metragens premiadas, incluindo “3×3”, “Vicky and Sam” e “Momentos”, em 2016 realizou a sua primeira longa-metragem “A Mãe é Que Sabe”, alcançando 2 prémios Sophia, bem como melhor filme português no festival espanhol Reino de León.