JÚRI

ANDRÉ NOVAIS OLIVEIRA

André Novais Oliveira – Formado em História pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e em Cinema pela Escola Livre de Cinema – BH. Escreveu e dirigiu os curtas Fantasmas, Domingo, Pouco mais de um mês e Quintal e os longas Ela volta na quinta e Temporada. Juntos seus filmes foram selecionados e premiados em vários festivais como a Quinzena dos Realizadores em Cannes, Festival de Locarno, Rotterdam, Fid Marseille, Indie Lisboa, Mostra de Tiradentes e Festival de Brasília. Temporada, seu último longa-metragem, ganhou os prêmios de Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Direção de Arte e Fotografia no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Como roteirista, além de escrever os filmes que dirige, participou dos Núcleos Criativos do FSA Família, da Filmes de Plástico, tendo Thiago Macêdo Correia como líder e Chapa Libre, da África Filmes, liderado pela diretora Anna Muylaert. Atualmente trabalha na adaptação do livro O Sol na cabeça, do escritor carioca Geovani Martins, que terá direção de Karim Ainouz. Ainda como roteirista recebeu o prêmio de Melhor roteiro de Longa Metragem no 22º Festival de Vitória com o filme Ela volta na quinta e os prêmios de Melhor Roteiro de Curta Metragem no 48º Festival de Brasília, 25º Cine Ceará e 8º Curta Taquary com o filme Quintal. Seu último roteiro de longa E os meus olhos ficam sorrindo, ficou em 2º Lugar no Prêmio Guiões 2018. Desde 2009, André é sócio da produtora mineira Filmes de Plástico junto com Gabriel Martins, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia (www.facebook.com/filmesdeplastico).

MARIANA TESCH-MORGON

Mariana é roteirista e professora de roteiro, residente em São Paulo. Mestre em Roteiro pela Northwestern University, com bolsa Capes+Fulbright, mestre em Educação pela UFRJ e bacharel em Comunicação Social com habilitação em Audiovisual pela UnB. Seu roteiro Bugs foi finalista do Guiões-2017, recebeu menção honrosa no FRAPA-2017, além de prêmio de melhor pitching. Seu roteiro Amém foi o grande vencedor do Guiões-2016 e segundo lugar no FRAPA-2015. Mariana é vencedora do primeiro Festival de Curtas TNT-2016, com o roteiro NY, MG, que estreou em 2017 no canal TNT-Brasil. Em 2018, foi selecionada para co-escrever o curta-metragem da terceira edição do Núcleo Experimental do Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo, com estréia em janeiro de 2019. Seus trabalhos mais recentes são como roteirista na série Oswaldo T2 (Birdo/Cartoon Network); e nos longas-metragens Dias Perfeitos (RT Features), Ligações Nebulosas (PRODAV 05/2016/Anti Filmes), com consultoria de Jean-Claude Bernardet, Amém (PRODAV 05/2016/Lusco-Fusco) e Bugs (Tabuleiro Filmes).

PAOLO MARINOU-BLANCO

Paolo Marinou-Blanco é um argumentista, realizador e produtor de origem Portuguesa e Grega, formado em Filosofia e História pela London School of Economics, um mestrado em Literatura Francesa na University College London e um mestrado em Escrita, Realização & Produção de Cinema pela Tisch School of The Arts, New York University. Escreveu e realizou a sua 1ª longa metragem, “Goodnight Irene”, com Robert Pugh, Nuno Lopes e Rita Loureiro, que estreou nos cinemas nacionais e em mais de 30 festivais internacionais. Paolo também corealizou e escreveu um telefilme para a RTP 1, “O Dez”. Paolo também tem seguido uma carreira como argumentista e produtor, tendo escrito, coescrito ou coproduzido vários projetos para cinema e televisão em vários países. Em cinema, alguns destes incluem: “Brass Monkey”, um thriller para os estúdios Paramount nos EUA; “Cândido”, um comédia negra coproduzida pela Primo Filmes (Brasil), Darya Films (Portugal) e os estúdios Fox (Brasil), selecionado para o programa “Script to Screen” do Mediterranean Film Institute e para o Jerusalem Film Lab; “City of Mist”, thriller produzido pelo produtor norte-americano Michael London (nomeado ao Óscar por “Sideways”); “The Last Harem”, um drama que ganhou 2 prémios de escrita da San Francisco Film Society, e foi selecionado para o programa Cinemart do Festival Internacional de Roterdão, coproduzido pela Néon Films (produtora francesa do filme “Le Prophéte”), e a Darya Films (Portugal). Em televisão, Paolo coescreveu o projeto piloto “The Dissent”, uma comédia negra política baseada nos EUA, e “The Ship”, uma adaptação televisiva do romance homónimo do escritor Islandês Stefan Mani. A sua 2ª longa metragem, “Sonhar com Leões”, está agora em fase de desenvolvimento.

THAIS FUJINAGA

THAIS FUJINAGA formou-se no curso Superior do Audiovisual da ECA-USP. Realizou quatro curtas, sendo que os dois últimos, L e OS IRMÃOS MAI, participaram de dezenas de festivais de ganharam, juntos, mais de 60 prêmios e menções especiais com destaque para: 62º Festival de Berlim, 44º Festival de Brasília, 26º Festival de Cine de Mar del Plata, 33º Festival de Havana, entre outros. Atualmente, desenvolve dois projetos de longa metragem autorais: O FILHO PLANTADO e CONTINENTE. O primeiro participou de laboratórios e encontros de produção no Brasil e na França. Além destes, o roteiro de O FILHO PLANTADO ficou em primeiro lugar no Concurso Cabíria, criado em 2015 com o objetivo de contemplar obras com protagonistas femininas. CONTINENTE foi contemplado nas linhas de desenvolvimento e produção do Fundo Setorial do Audiovisual. Ficou ficou em primeiro lugar na segunda edição do Concurso Cabíria e foi selecionado para o Laboratório Novas Histórias (2017). Thais também colabora como roteirista em projetos de outros realizadores, como o longa ficcional A CIDADE ONDE ENVELHEÇO, da cineasta mineira Marília Rocha. É roteirista da série ONISCIENTE, criada por Pedro Aguilera para a Netflix e LENDAS URBANAS, direção geral de Fernando Coimbra. Atua como consultora e professora de roteiro em cursos organizados pelo SESC, Secretaria Municipal de Cultura e Academia Internacional de Cinema.