PRÉMIO MOTELX GUIÕES 2023

Já são conhecidos os cinco finalistas que concorrem ao primeiro Prémio MOTELX GUIÕES para o melhor argumento de terror português. A nova competição nasce de uma parceria especial entre o MOTELX e o GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa, cuja 9.ª edição decorre durante o 17.º Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa.

“Maria não me Mates”, de Sofia Perpétua, “Mar Agreste”, de André Marques, “Dentes e Garras”, de Francisco Lacerda e Amarino França, “Trauma”, de Tiago Matos, e “Faz-te um Homem”, de André Murraças, são os cinco títulos candidatos ao prémio para o melhor argumento de terror português de longas-metragens ainda não produzidas, escolhidos pela equipa de selecção dos festivais MOTELX e GUIÕES, entre mais de 50 propostas arrepiantes.

Os finalistas vão ser avaliados por um painel de jurados composto por Daniel Bandeira (realizador e argumentista do filme “Propriedade”, a exibir no 17.º MOTELX), Filipe Homem Fonseca (argumentista e humorista) e Sandra de Almeida (directora e programadora do Shortcutz). O vencedor, que é revelado a 13 de Setembro, no Cinema São Jorge, leva para casa 2000€. Esta iniciativa, em colaboração com o Festival GUIÕES – uma plataforma essencial para o encontro entre o pólo criativo de língua portuguesa e os profissionais da indústria cinematográfica mundial -, chega este ano para alavancar um dos maiores objectivos do MOTELX: o impulso à produção de mais ficção audiovisual de terror.

Nas palavras dos directores artísticos do MOTELX, Pedro Souto e João Monteiro, os cinco finalistas ao primeiro Prémio MOTELX GUIÕES primam pela variedade de temáticas e subgéneros, dando a entender que há muito talento também na escrita. E sublinham que, além de serem conhecedores das especificações do terror, nota-se uma preocupação dos autores em inscrever as histórias no passado, presente e futuro de Portugal. “Nesse sentido, destaca-se a herança colonial em “Faz-te um Homem”, a gentrificação urbana em “Maria não me Mates”, a crise ecológica do “Mar Agreste”, o amor juvenil de “Trauma” e o apocalipse de “Dentes e Garras””, avançam.

Sobre os argumentos, os directores deixam ainda um desejo: São cinco belos projectos que esperamos ver transformados em filme e estreados durante as próximas edições do MOTELX.

A juntar à competição de guiões de terror portugueses, os dois festivais levam a cabo uma programação cruzada e simultânea que visa um conjunto de actividades em torno da escrita e produção de cinema de terror, de workshops a sessões de cinema, passando por debates e masterclasses.

Na 9.ª edição do GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa, que, de 13 a 17 de Setembro, também acontece no Cinema São Jorge, com extensão à Cinemateca Portuguesa, está para já prometida a visita do produtor Rodrigo Teixeira, convidado de honra da parceria MOTELX GUIÕES. Em Lisboa, o brasileiro conduz um workshop dedicado à produção e apresenta um dos filmes de terror mais influentes da última década, de que é um dos produtores, “The Witch” (2015), realizado por Robert Eggers.

No glorioso menu da 17.ª edição do MOTELX, a ser degustado entre os dias 12 e 18 de Setembro, no Cinema São Jorge, o terror é o prato do dia.

JÚRI PRÉMIO MOTELX GUIÕES

SANDRA DE ALMEIDA

Nasceu e cresceu em Lisboa. Apaixonada pelas artes e com formação em arquitectura, cedo percebeu que o seu percurso teria de passar pelo cinema, um refúgio e um porto seguro desde sempre. Em 2005 iniciou esse caminho na produção de vídeo e em 2008 juntou-se à equipa de comunicação e marketing da Castello Lopes Multimédia. Em 2010 aceitou o desafio e abraçou o projecto do Shortcutz Lisboa onde, entre outros, desempenha o papel de directora e programadora. Actualmente, além deste projecto, continua a dividir o seu tempo entre a comunicação de cinema e comunicação na área digital.

DANIEL BANDEIRA

Iniciou no audiovisual em 2001 através de sua produtora, Símio Filmes. Como montador, colaborou com vários realizadores do cinema pernambucano, como Kleber Mendonça Filho, Camilo Cavalcanti e Gabriel Mascaro. Em 2007, estreou como roteirista e diretor em longa-metragem com seu filme “Amigos de Risco”. Logo após, dirigiu o curta “Tchau e Benção” (2009) e codirigiu os curtas “Sob a Pele” (2011) e “Soledad” (2015). Como montador, assinou a edição dos longas “O Nó do Diabo” (2017), da produtora Vermelho Profundo, e de “Brasil S/A”, de Marcelo Pedroso, pelo qual conquistou o prêmio de Melhor Montagem no Festival de Brasília de 2014. “Propriedade”, seu segundo longa metragem foi selecionado para a mostra Panorama da 73ª Berlinale, em 2023.

FILIPE HOMEM FONSECA

Nasceu em Lisboa, em 1974. É argumentista, dramaturgo, escritor, humorista, músico e realizador. Autor e co-autor de séries de televisão, peças de teatro, rubricas de rádio, documentários e filmes, tais como “Herman Enciclopédia”, “Contra Informação”, “Conversa da Treta”, “Paraíso Filmes”, “Bocage”, “Azul a Cores”, “Curiua-Catu”, “Submersos”, “Aqui Tão Longe”, “1986”, “Patrulha da Noite” e “O Mundo Não Acaba Assim”. Tem vários contos publicados, como “O Festival”, na Antologia de Ficção Científica Fantasporto, e “Os Que Nunca Esquecemos, no Histórias de Terror MotelX; e dois livros de poesia editados, “conta gotas” e “e enquanto espero que me arranjem o esquentador penso em como será a vida depois do sol explodir”. Assinou três romances: “Se não podes juntar-te a eles, vence-os”, “Há sempre tempo para mais nada”, e “A Imortal da Graça”.

 

O MOTELX associa-se ao Festival GUIÕES para uma parceria da qual nasce um novo prémio dedicado a argumentos de longas-metragens ainda não produzidas.

As candidaturas para o Prémio MOTELX GUIÕES 2023 já estão abertas, sendo o prazo limite de entrega a 15 de Junho.

“O melhor argumento de terror português” para longas-metragens será eleito por um júri, entre 5 candidaturas escolhidas pela equipa de selecção dos dois festivais, e premiado com 2000€.

Este ano, o MOTELX recebe ainda a 9.ª edição do GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa, com um foco especial na escrita de cinema e audiovisual de terror, e, além do prémio, apresentam em conjunto uma programação especial, durante a 17.ª edição do MOTELX, de 12 a 18 de Setembro, no Cinema São Jorge.

Segundo os directores artísticos do MOTELX, Pedro Souto e João Monteiro, esta parceria representa “a consolidação de um desígnio do Festival que é o da formação para a produção de cinema de terror em Portugal”. No seguimento de um desafio proposto pelo GUIÕES, “decidimos avançar para a promoção e incentivo de novas longas de terror portuguesas ainda não produzidas e sem financiamento, portanto na sua fase inicial de desenvolvimento, mais propriamente no argumento”. “Esta sinergia, em forma de prémio, entre os dois festivais, é mais um pequeno mas importante passo para continuarmos a nossa missão e aponta para um futuro que se quer risonho para o género”, explicam.

A “junção das duas forças e do conhecimento acumulado por ambos os festivais ao longo das suas edições”, para o fundador e director criativo do GUIÕES, Luís Campos, é “uma oportunidade singular para colocar foco no talento e nos autores que pretendem desenvolver projectos no género de terror, com o objectivo de estimular a produção cinematográfica e audiovisual de género em Portugal”. Em suma, é uma colaboração que “ajuda a impulsionar o futuro e a diversidade da nossa cinematografia”.

REGULAMENTO

INTRODUÇÃO

O Prémio MOTELX GUIÕES 2023 – Melhor Argumento de Terror Português, doravante referido como Prémio, é promovido pelo MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, em parceria com o GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa.

O MOTELX é organizado pelo CTLX, uma associação cultural sem fins lucrativos, pessoa colectiva de utilidade pública com o NIF 508528232, abrangida pela lei do mecenato cultural. O Festival é membro da Méliès International Festivals Federation (MIFF) e da Europe For Festivals, Festivals For Europe (EFFE). MOTELX é uma marca registada.

O GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa é organizado pela Treasure Melody Unipessoal Lda, uma entidade com fins lucrativos, pessoa colectiva com o NIF 513193650.

I – DISPOSIÇÕES GERAIS

1. Os autores deverão ser cidadãos portugueses, excepto nas situações descritas no ponto 2.1, com idade igual ou superior a 18 anos, completados até ao último dia do prazo para entrega da candidatura.

2. São admitidos argumentos escritos em co-autoria de duas ou mais pessoas.

2.1 Nas situações de co-autoria, admitem-se autores de outra nacionalidade que não a portuguesa, desde que sejam residentes em Portugal e pelo menos metade dos autores sejam de nacionalidade portuguesa.

3. Os argumentos inscritos deverão ser obras originais, que não tenham sido objecto de contrato para produção de obra cinematográfica até ao final do prazo da candidatura.

4. Podem ser inscritos argumentos não-originais, se baseados em obra preexistente de um autor concorrente, desde que os direitos da referida obra não tenham sido cedidos, parcialmente ou na sua totalidade, a terceiros.

5. Não se aceitam novos tratamentos ou versões corrigidas de argumentos previamente inscritos.

6. Os argumentos deverão ser escritos em português, podendo integrar outros idiomas desde que não correspondam a mais de 1/4 do total do texto, e devem ter um número de páginas A4 igual ou superior a 50.

7. Cada autor poderá concorrer ao Prémio com até dois argumentos.

8. A participação no Prémio não implica a cedência de quaisquer direitos de propriedade intelectual e, consequentemente, da exploração comercial da obra.

9. A decisão correspondente à selecção dos finalistas e dos vencedores do concurso será final e soberana.

10. Todos os documentos e materiais adicionais, eventualmente anexados à inscrição, tais como, sinopse, nota de intenções, bíblia do projecto ou descrição de personagens, não serão considerados para a avaliação final do trabalho.

11. Serão seleccionadas até cinco obras para uma sessão de pitch, que decorrerá no Cinema São Jorge em Lisboa, durante o MOTELX 2023 (17.ª Edição) que decorre de 12 a 18 de Setembro. A data concreta será anunciada até 30 de Junho.

11.1 Cada obra seleccionada para o Pitch deverá ser obrigatoriamente representada pelo correspondente autor na sessão de pitch, sob pena de exclusão.

12. O vencedor receberá um prémio pecuniário único no valor de 2000 € (dois mil euros)

II. INSCRIÇÕES

13. As inscrições para o Prémio efectuam-se exclusivamente através da plataforma FilmFreeway, por via do link https://filmfreeway.com/MOTELX.

14. Os argumentos deverão ser enviados em formato PDF.

15. O prazo de inscrição decorre entre 7 de Março e 15 de Junho de 2023.

16. Os participantes serão informados se o argumento inscrito foi ou não seleccionado para a sessão de pitching até ao início do mês de Agosto.

III. JÚRI

17. O júri do Prémio será composto por três personalidades designadas pelas organizações dos dois festivais.

17.1 A participação do autor na sessão de pitch é obrigatória, mas não terá influência na avaliação do júri.

18. Nenhum jurado pode ter qualquer interesse pessoal, directo ou indirecto, nos argumentos concorrentes aos prémios.

19. Da deliberação do júri não cabe recurso.

20. A decisão do júri será anunciada durante a sessão de pitch do GUIÕES, no decurso do MOTELX e nos sites dos dois festivais, em www.motelx.org e www.guioes.com.

IV. DISPOSIÇÕES FINAIS

21. A inscrição de um argumento no Prémio implica a aceitação destas normas. O não cumprimento de qualquer uma das regras do presente regulamento poderá levar à rejeição da inscrição.

22. A organização do MOTELX e do GUIÕES decide sobre todas as matérias omissas neste regulamento.